Branding à la Donald Trump

Aqui algumas lições interessantes sobre branding  mas com premissas duvidáveis para alguns, talvez extraídas do artigo “Guia de construção de marcas ao estilo Trump“, de Anselmo Ramos.

1478804862_trump2

Não sou dos que a priori acham que Donald Trump é filho do capiroto com o ET de Vargínia pelo que disse em campanha. Ainda fico com a pulga atrás da orelha pensando se parte das bobagens que vociferou não passou de mkt (torço mesmo por isso) e de uma boa dose de entendimento de quem é o seu público – por mais estranho que seja esse público. Acho que esse é o ponto geral do texto que inspirou este post e por isso o compartilho aqui.

De qualquer maneira, para os que não têm paciência para a leniência do autor com DT, retirei de cada lição os pontos que considero essenciais.

Juntos, com algumas ressalvas, são um bom conjunto de princípios para todos os que lidam com marcas.

  1. Esqueça as pesquisas. Entenda o ser humano

Entenda as pesquisas, mas nada substitui o gut feeling e o profundo entendimento do ser humano. – Esse era um dos mantras de Steve Jobs.

  1. Seja o anticategoria

Estude profundamente sua categoria, entenda os códigos, e faça tudo ao contrário. – Ok, isso não precisa ser uma regra geral. A ideia aqui é criar diferenciação em um cenário de mensagens pasteurizadas. Mas avalie bem caso a caso.

  1. Nunca mude o posicionamento da sua marca

A marca é uma só. Ela pode se adaptar ao momento, ao contexto. Mas a essência de uma marca não deveria mudar nunca. Aconteça o que acontecer. – Quase chorando aqui… ah se os clientes ouvissem nossas preces.

  1. Tenha brand assets claros. E use-os à exaustão

Identifique claramente quais são os brand assets da sua marca. Eles não precisam ser perfeitos. Eles só precisam fazer sentido no contexto da marca. E use-os em toda e qualquer oportunidade.

  1. Fale como as pessoas falam

Sempre curto, sempre fácil de repetir, sempre em formato hashtag. Não fale empolado, não fale difícil, fale como as pessoas falam. – Sendo mais assertivo, fale de maneira a ser entendido por seu público. Busque criar empatia e valor.

  1. Não seja chato. O povo quer entretenimento

Seja polêmico, seja qualquer coisa, mas não seja chato. – Por favor!

  1. Erre mais. O consumidor perdoa

Não fique paralisado, não tenha medo de errar, de não agradar, de não ter likes suficientes. Quanto mais forte for sua marca, mais você pode fazer, provar, provocar. Erre mais. Fale mais besteira. Não peça desculpas. O consumidor perdoa. – Err… nem tanto ao mar. Para inovar é necessário ousar, mas evite cutucar a onça com vara curta, ao menos gratuitamente. Mantenha todos os seus movimentos friamente calculados. 😉

Anúncios

Sobre Alex Ramôa

Just wondering...
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s